24 de dez de 2013

Boas festas, coisa e tal


christmas | Tumblr
xx
O Its Becky deseja um natal lindo pra todos vocês, amorzinhos :) Postagens em breve!

17 de dez de 2013

Depois de Lúcia (Después de Lucía) - 2012


Depois de Lúcia (Después de Lucía) - Poster / Capa / Cartaz Depois de Lúcia (Después de Lucía) - Poster / Capa / Cartaz

DEPOIS DE LÚCIA 
(3,5/5,0)


Sim, sim, mais um filme sobre bullying. Aliás, mais um? Certeza? Duvido que você já tenha visto um filme sobre bullying. Documentário, okay, reportagem, okay, mas filme? Duvido. É mesmo bem difícil fazer um roteiro com algo que foi tão discutido uns dois anos atrás e não ser clichê ou repetitivo.  


Mas bom, deixe-me dizer pra vocês que sim, Depois de Lúcia conseguiu ser um filme de bullying bom.  Aliás, mais que bom.  É chocante. Agoniante.  Mas tá, deixa eu montar a sinopse antes de falar sobre.  Alejandra (ah, sim, é um filme de bullying bom e mexicano) é uma garota comum que acaba de se mudar junto com o pai para uma nova cidade, onde ele pretende abrir um restaurante, enquanto ela enfrenta o desafio de entrar numa escola nova.

Desde o início, vê-se que Alê já não tinha amizades saudáveis na antiga cidade. Na nova escola, ela não faz diferente, e logo fica amiga de um grupo de pessoas de sua sala, aquele grupinho ~mal exemplo ~ que toda sala de aula tem. Alguns dias depois, numa festa, ela envolve-se com Javier, um dos garotos do grupo, e eles gravam um vídeo enquanto transam no banheiro.  Sim, o cara coloca o vídeo na internet. Sim, ela fica mal falada pela escola inteira. Mas não para por aí.


Alejandra não é o tipo de pessoa que podemos chamar de ~garota de atitude~, que é forte e passa por cima de tudo. Ela foi humilhada, enganada, abandonada, sofre violência verbal e física em diversos momentos do filme, e mesmo assim não faz nada. Não é que ela seja idiota. A garota oprime tudo o que acontece, não há choro, nem desespero, nem sofrimento – as agressões feitas são um tapa na cara. Você fica louco pra ajudar a personagem em boa parte da história.

O filme aborda não só o bullying, mas também o quão hipócritas e machistas são as pessoas, ainda hoje.  A garota foi chamada de puta por meses e meses pela escola inteira, e o garoto, que também estava no vídeo, foi só zoado por alguns dias. Ele continuou com amigos e com toda a sua vida normal, enquanto a dela se arruinava. Por que ele também não foi chamado de canalha? E por que alguém pode fazer sexo em quatro paredes, mas quando um vídeo é divulgado, todo mundo julga? É como se fosse coisa de outro mundo. Parece que ninguém nasceu daquele mesmo jeito. Parece que aquilo é algo muito diferente do que todo mundo tá acostumado.


Mas enfim. Adorei a atriz, Tessa la, que faz a personagem principal. O elenco todo é ótimo, na verdade. As cenas com os amigos todos juntos parecem ser reais, dá pra ver todo mundo muito à vontade. Mas foi necessário um elenco bom, principalmente nas cenas que traduzem até que ponto o ser humano pode chegar. E, só pra encerrar, sem dar muito spoiler: só não dei mais uma estrela pela cena final. Que final cagado, gente. Mas tá, essa é minha opinião. Teve gente que amou. Mas sei lá. Recomendo, de qualquer jeito. Assistam, gente! :) 

Beijos!
Becky

9 de dez de 2013

Receita de Brownies



BROWNIES, SIM, BROWNIES! Pra quem tá só coçando a bunda agora que tá de férias, pra quem tá com fome agora e pra quem me pediu pra postar essa receita: vamos aprender a fazer brownies hoje. YAYS.


Você vai precisar de:

 

- 200g de manteiga sem sal.
- 3 ovos. 
- 400g xícaras de trigo.
- 400g xícaras de açúcar. 
- 250g de chocolate ao leite.
- Castanhas/nozes à gosto. 



Modo de preparo 

1 - Primeiro,  misture o açúcar e a manteiga. 
parte não muito fotogênica da receita hm 

2- Depois, adicione os ovos e misture com a batedeira. 



3-  Adicione o trigo e o chocolate. Sim, vai ficar bem grossa, já que não tem leite nem nada do tipo na massa. É pra o brownie ficar bem sequinho e a borda crocante. :) 

 

4- Unte a forma e coloque o forno a 180º C. Despeje a massa num recipiente retangular e deixe por 25-35 minutos. Voilà! Teu brownie está pronto. Dica da Tia Becky: sirva quentinho e, se der, com uma bola de sorvete de creme do lado. E não esquece de botar no Instagram com a legenda *Dia difícil pras inimigas*. Adoro. 



beijos,
Becky. 

27 de nov de 2013

Sorrisos enormes e maquiagem exótica




Vem cá, leitor, você já ouviu Silva? Já? Não? Ah, tanto faz. Senta aí que lá vem história. Então, digamos que eu notei que minha vida agora tá igualzinha a um cilpe do Silva. Do Silva, não do Little Joy. Porque os clipes do Little Joy são muito cheio de filtro vintage e aventuras demais. Não que isso seja ruim, eu é que sou assim, natural, sem filtros, e cagona demais pra qualquer aventura. 

Do Arctic Monkeys também não, que eu não bebo, nem fumo, e nem ligo pra ninguém às 3 da manhã. Do Green Day também não, que eu não mato DJs nem sou a última garota americana. E mesmo que fosse, eu não vivo numa casa em meio a um tiroteio. Tá, eu odeio Setembros, mas não quero que me acordem só quando o mês acabar, né, porfa.

Não, minha vida é um clipe do Silva. Com uma garota com cara de quem tem personalidade forte no centro, uma maquiagem exótica e um sorriso enooorme. Um conjunto de imagens espontâneas, risos, caretas, e umas paisagens bonitinhas também, se der. Cheio de cortes, porque não dá pra mostrar tudo de bom que acontece.

Minha vida é um clipe do Silva, só que com uma garota estranha de cabelos loiros no centro. A personalidade forte a gente conserva. A maquiagem exótica deixa pra lá, que eu não fico bem de delineador colorido. O sorriso enorme também mantém, é legal.  Cheio de cortes, novamente. Pra não mostrar tudo de bom. As partes ruins a gente corta. Desnecessário. 

20 de nov de 2013

Um post enorme, dramático e meio gay


Tá, posso começar esse texto dizendo que não sei por onde começar? Okay. Não sei por onde começar. Então vou responder umas perguntas que me fizeram enquanto eu estive sumida. Primeiro, me perguntaram muito por que eu fechei o blog e por que parei de postar. A resposta é a mesma pra ambas as perguntas: me enrolei toda na escola. Sei que tem um pessoal que tá no Ensino Médio ou às vezes já até tá trabalhando que consegue postar quase todos os dias sem afetar na ~vida escolar ~, mas gente, eu não sou assim. 9º ano é uma droga, e não é fácil, pelo menos pra mim.

Então chegou num dia lá pra Agosto/Setembro em que eu queria postar, mas tava ocupada demais decorando fórmula de Física, ou tentando entender sobre o que diabos o professor de História falava, coisa e tal. E ainda assim não tirei as notas que queria. O meu problema é que eu faço tudo na hora errada, do jeito errado, na ordem errada. E foi aí que eu fiquei sem o mínimo humor pra falar de, sei lá, livros no blog, porque a última coisa que eu tinha era saco pra ler. E vocês sabem que eu amo ler. Com isso tudo, o blog ficou lá, paradão, sem posts, sem comentários, e cada vez mais sem visitas. Foi aí que eu fechei. Dá pra entender?
Mas pra ser sincera, outro motivo pra eu ter parado de postar é que também enchi o saco da blogosfera. Não acompanho mais blog nenhum. Porque tá tudo a mesma bosta: resenha de livros/filmes, blogs que eu recomendo, ~imagens de inspiração~, ~minha semana no Instagram~, blábláblá. Tá faltando gente pra botar a mão no ombro de umas blogueiras e falar que já tá na hora de parar. Eu parei, heh.

Sobre o formulário: li todas as respostas com muito carinho. No final o sumário de respostas ficou uma página imeeeeensa de opiniões de leitoras, algumas antigas, algumas novas, algumas que eu nem sabia que existiam, e eu queria agradecer a todo mundo, okay? THANKS GODS que não teve nenhum anony escroto pra falar mal do blog, e aliás também agradeço muito por todas as palavras de incentivo/ carinho/ fofice que me mandaram. Vocês são infinitamente um amor. C: O que eu notei é que tem muitas leitoras que me entendem: não é que tá proibido postar e/ou ler sobre filmes/livros/etc, mas sim que o diferencial de um blog baseia-se em uma coisa simples chamada personalidade. Como teve muita gente me pedindo pra fazer resenhas de livros, vou continuar fazendo (daí vocês soltam um ÊÊÊ). A única mudança é que vou focar no que eu quero e no que vocês me pediram pra fazer: posts mais pessoais. O que simmm, inclui meus desenhos e fotografias, que também pediram.  Ah, e umas receitas bonitinhas que eu ando aprendendo a fazer (incluindo o brownie, tá Mari <3).  Além da frequência de postagens (pelamor), que prometo, vai ser maior, ehe.

Enfim, de novo, brigada, pessoal. <3  AGORA AMBRAM ALAS QUE EU VOLTEI.

15 de set de 2013

5 motivos pra ver o canal Gato & Gata no Youtube


Arte por Laerte Coutinho.
1- Tem a Gaía Passarelli e o Chuck Hipolitho, que são adoráveis (na verdade, eles estão entre as minhas pessoas favoritas no mundo inteiro). Sim, aqueles que são VJ´'s da Mtv Brasil, heh. 





2- Eles são apaixonados por música, tem um gosto musical incrível e ainda indicam bandas legais no canal deles. :)


gaiapassarelli:

Dog Party na casa dos gatos

Eu e Chuck estreamos ontem nosso canal no youtube. Chama Gato&amp;Gata, nome que não exige explicação.…

View Post


3- Porque foi o Laerte quem fez o desenho que está no avatar do canal e na marca d'água que tem nos vídeos. Tá, não é um motivo lá muito bom, mas gemt, achei o desenho um amor. E não consigo ~não-adorar~ o Laerte, heh. 


4-Porque eles tem 4 gatos!!!11!!!!1


5- Porque o cabelo da Gaía é muito, muito lindo. ♥


Vale a pena ver :) http://www.youtube.com/user/gatogata77?feature=watch 

beijos infinitos!
Becky ♥

10 de set de 2013

Say cheeeese!


Pra vocês matarem a saudade das minhas fotos. :) Ah, todas elas foram tiradas com um Iphone 4s (porque é, até hoje tô sem minha câmera mimimi). 

Efeitando domingos 
essa não ficou numa qualidade tão boa, não sei porque .-. |  Meu caderno do curso de Francês c:

Bijou sendo, hum, Bijou






Tenho uma queda (só pra não dizer um abismo) por esse filme y.y 

Até semana que vem, amores. :)
Becky ♥

2 de set de 2013

6 Clipes que eu ♥


Sim, eu sei que sumi. Minha vida tá uma bagunça. Em breve tudo volta ao normal, acho. A post de hoje é bem pra aqueles meus leitores que sempre tem preguiça de ler o que eu escrevo, porque eu realmente escrevo demais, mas hoje não vou escrever quase nada. Fiz uma listinha de alguns dos meus clipes favoritos, espero que vocês gostem. :)

edit: São 6 clipes, não 7, como tava antes no título da postagem, ehe. Brigada Vitt linda que reparou e veio me dizer ♥














Vejo vocês na semana que vem (eu espero). c: 
Beijos infinitos, 
Becky ♥

19 de ago de 2013

Mar de Monstros (2013)


Gritei quando apareceu esse título na tela do cinema. Não, sério. Gritei mesmo. 

Fui ver Mar de Monstros na estréia, sexta-feira, junto com todo o fandom na sala do cinema (fui mesmo, até porque eu faço parte do fandom, né. Sou filha de Poseidon. c: ). A sinopse é a seguinte: depois de um ataque ao Acampamento Meio-Sangue, os campistas descobrem o pinheiro de Thalia foi envenenado, e assim, o campo de proteção, que separava os meio-sangues dos mortais e monstros, está enfraquecido. Para buscar uma solução, Percy, Annabeth, Tyson e Grover vão atrás do Velocino de Ouro, que poderá fortalecer o pinheiro e proteger o acampamento novamente.

*Podem haver spoilers a seguir*

O ingresso do filme + Nalu no fundo + Poster do filme que eu fiquei louca pra roubar 
Eu sei que o pessoal esperou três anos pra Mar de Monstros ser lançado e tem toda aquela expectativa (ainda mais depois do desastre que foi Ladrão de Raios), mas gente, o diretor não pode pegar o livro e usá-lo como roteiro. Não, ele lê o livro, e faz uma adaptação. Não dá pra ser tudo igual, não dá pra colocarem todas as cenas que os fãs gostam, não dá pra colocar todas as falas ou frases famosas do livro. Pra ser bem sincera, eu fiquei muito feliz com o quanto Mar de Monstros foi fiel ao livro. Se fosse mais fiel que isso, todo mundo já saberia o que ia acontecer. Admito que houve alguns momentos bem wtf?, mas também tiveram tantas cenas adoráveis que eu não consegui deixar de dar 4 estrelas ao filme. 

sea of monsters | via Tumblr
ARCO-ÍRIS!!!!!11!!!!!
O filme foi mais uma vez produzido pela Fox, então, em questão de fotografia e roteiro, nem me abalei muito. A forma como contaram a história foi diferente do livro, mas achei melhor assim. Tem certas histórias que só ficam bem em livros, e Mar de Monstros só deu certo porque foi contado de forma diferente. Pelo menos é o que eu acho.A trilha sonora me surpreendeu de verdade. O senso de humor também ficou no ponto certo, sem ser forçado. Não tenho palavras pra descrever o quanto eu adorei o Sr. D falando ''Peter Johnson!''e ''Annabell!'', AHAHA. ;u; 


Adorei (lê-se amei) a escolha dos atores. A Thalia ficou perfeita, e não pude deixar de ficar absolutamente louca pra ver como vai ser no próximo filme, com ela realmente aparecendo no filme. O Logan, o Jake, o Brandon e a Alexandra continuaram sendo ótimos, ainda mais com a Alex loira e o Douglas agora no elenco, como Tyson. Sem falar na Clarisse: Achei que tinham errado feio, já que a personagem dos livros é totalmente diferente da atriz, mas ela acertou na personalidade e acabou sendo perfeita pro papel. 

Cara, Mar de Montros pra mim foi, no mínimo, inesquecível. Espero que pra os outros fãs também.Em breve eu posto mais sobre esse grupo de semideuses daqui de São Luís que eu participo. Em breve. ;) 

  beijos infinitos, 

B E C K Y

9 de ago de 2013

Book Survey

Roubei Peguei essa tag do Quase Inédita, da Mimis, que originalmente pertence ao The Dusty Attic, da Maru. :) Sobre as tags que tinham me indicado, eu acabei decidindo não fazer. Desculpa. Enfim,essa tag é composta por  mais de 50 perguntas sobre hábitos literários. Não vou indicar ninguém porque eu nunca indico ninguém mesmo, mas quem quiser fazer, adoraria que me deixasse o link pra eu ler sobre os seus hábitos também. 

Facebook
Achei aqui
1. Livro de infância preferido?
Harry Potter e a Pedra Filosofal. 

2. O que você está lendo agora?
Guia do Mochileiro das Galáxias Vol.1 - Douglas Adams.

3. Que livros você quer emprestar na biblioteca?
Nenhum, faz tempo que não vou numa biblioteca. :c Mas pretendo em breve, heh.  Em compensação, a livraria é o lugar onde eu passo mais tempo no mundo, fora a escola. 

4. Hábito de leitura ruim?
Vivo estragando cantos de livros porque gosto de levá-los na bolsa. 

5. Qual foi o último livro que pegou na biblioteca?
Não faço a mínima ideia. Sério. 

6. Você tem um e-reader?
Por mais que ache prático, sempre acho que está faltando alguma coisa quando baixo um livro pelo computador, mesmo ele sendo bom. Então não, não tenho e-reader e nem teria se pudesse. 

7. Você prefere ler um livro por vez ou vários de uma vez?
Não tenho aquilo de confundir as histórias, mas prefiro um livro por vez porque 1) Não tenho muito tempo pra ler mais do que um livro e 2) Tenho um sentimento bem estúpido de me sentir culpada quando estou lendo dois ou mais livros de uma vez e começo a ler um deles com mais frequência. É. 

8. Seus hábitos literários mudaram desde que criou o seu blog?
De certa forma, sim. Nunca dou muita bola quando me recomendam um livro, mas gosto de ler resenhas de outros blogs, então acabo descobrindo livros legais e quando os vejo na livraria, sempre dá um interesse maior do que teria se nunca tivesse ouvido falar. 

9. Qual foi o livro que você menos gostou de ler esse ano?
O Maravilhoso Mágico de Oz, de L. Frank Baum. Gosto de ficção, gosto de contos, gosto de Oz. Mas foi mal L. Frank, seu livro é impossível de terminar. 

10. Livro preferido que leu este ano?
Não me lembro se li As Vantagens de Ser Invisível esse ano ou ano passado, então acho que Perfeitas - Sara Shepard. 

11. Com que frequência você lê fora da sua zona de conforto?
Faço bastante isso, na verdade. Gosto daquele tipo de livro que eu tenho certeza que vou gostar só de ter visto a capa ou as primeiras linhas da sinopse, sendo ele um tema que eu costumo ler ou não. Quando não tenho muita certeza se vou gostar do livro, eu acabo baixando ou pegando emprestado, leio umas 20 páginas e se gostar, eu compro depois. 

12. Qual é sua zona de conforto literária?
Pra falar a verdade, não tenho bem uma zona de conforto. Eu gosto de histórias sobre pessoas especiais, sobre pessoas incomuns, mas acima de tudo, eu gosto de ler

13. Você consegue ler em ônibus?
A guria aqui não costuma pegar ônibus, heh. 

14. Lugar preferido para ler?
Minha cama. :)

15. Qual é a sua política de emprestar livros?
Sou muito, muito, muito ciumenta. Só empresto quando sei que a pessoa vai cuidar bem do livro, e mesmo assim ainda sinto falta dele na minha estante enquanto não ela não devolve. 

16. Você faz orelhas nos livros?
Não. Primeiro porque cuido deles excessivamente, segundo porque gosto de colecionar marcadores de livros, então não tem muita necessidade de fazer isso. 

17. Você já escreveu nas margens dos livros?
Não, mas não acho tão ruim quando escrevem, desde que seja a lápis. Na biblioteca que costumava ir, vários livros vinham assim, mas nunca criei esse hábito. quando gosto de alguma frase, anoto num caderno bonitinho que eu tenho ou coloco um post it na página da frase.

18. Nem mesmo em livros didáticos?
Tá, confesso: 90% das páginas dos meus livros didáticos estão com desenhos/letras de música em algum canto da página. 

19. Em que língua você prefere ler?
Português. Não consigo me concentrar por muito tempo quando o livro é em inglês. .-. 

20. O que faz você amar um livro?
Quando eu me apego tanto aos personagens a ponto de pensar ''Aquele personagem ia gostar disso'' ou ''Isso é a cara dele!'', de desenhá-los no meu caderno de desenho. Gosto da sensação de ficar ansiosa pra chegar em casa só pra poder terminar um livro, do cheiro deles novos (por mais que o cheiro de livros velhos também me agrade), de ficar pensando o que mais pode acontecer na história. Gosto de muita coisa, heh.

21. O que te inspira a recomendar um livro a alguém?
Demorei pra responder essa. Acho que gosto de recomendar livros pra pessoas queridas com gostos parecidos. Ou simplesmente quando quero alguém pra poder falar do livro comigo e gostar dele tanto quanto eu. Há livros com histórias tão legais que eu fico com ciúmes quando alguém lê (mais um sentimento estúpido da minha parte, mas enfim, sou só eu), mas também tem aquelas histórias que merecem ser compartilhadas, sabe?

22. Gênero/tema preferido?
Romance, ficção, histórias intrigantes (acho mesmo que isso deveria ser considerado um tema oficial. Tipo uma estante na biblioteca/livraria só pra histórias intrigantes. Seria demais) e/ou melancólicas. 

23. Gênero que você raramente lê?
Dramas e ficção (por mais que esse último seja um dos meus gêneros favoritos, sou muito seletiva com livros do tipo).

24. Biografia preferida?
Nunca li nenhuma e não pretendo ler. A única que me interessa no momento é a biografia do Tim Burton, mas ela é tão cara que é melhor eu fingir que continuo desinteressada. 

25. Você já leu livros de auto-ajuda?
Não. Ás vezes eu me pergunto se livros de auto-ajuda são mesmo pra ajudar os leitores, ou um autor não-muito-criativo sem dinheiro, ou uma editora sem muito dinheiro ou o autor com problemas psicológicos que se sente melhor quando fala sobre os próprios problemas e como resolvê-los. 

26. Livro preferido de culinária?
A única coisa relacionada a culinária que eu faço é ler o blog I Could Kill For Desert (em parte porque a blogueira é muito fofa, em parte porque as receitas são fáceis/boas) e fazer brownies e cookies cujas receitas eu já sei de cor, heh. 

27. Livro mais inspirador que leu esse ano (ficção ou não-ficção)
Quem é você, Alasca?  do John Green. A história não é tão inspiradora assim, mas aborda vários assuntos que me fizeram pensar mais do que qualquer outro livro. 

28. Petisco preferido enquanto está lendo?
Chá de maçã e chocolate meio amargo. 

29. Diga um caso em que a fama do livro destruiu a sua experiência.
Não vou dizer que ~destruiu minha experiência~, mas a fama que A Culpa é das Estrelas vem fazendo me incomoda demais. Tem tantas garotas que só leem o livro por causa do casal e não entendem nada além disso, ignoram a profundidade da história e tal. Mas fazer o quê, eu li no Tumblr do tio Green que, enquanto as pessoas gostarem do livro, ele não se importa com nada disso. Se ele não se importa, eu ando tentando não me importar também. Vivo relendo ACEDE, por sinal. 

30. Com que frequência você concorda com críticas dos livros?
Gosto de ler resenhas tanto antes quanto depois de ler algum livro. Mas acho muito chato quando a pessoa assume realmente a palavra  ''crítica'' e aponta mais os defeitos mínimos do livro do que as partes boas só pra bancar o intelectual-que-ama-Shakespeare-e-Dan-Brown. 

31. O que você acha sobre dar feedback negativo sobre um livro ou fazer uma review negativa?
Justo, se a pessoa não gostou mesmo. É bom ver um ponto de vista diferente. 

32. Se você pudesse ler em outra língua, qual seria?
Francês. 

33. Qual o livro mais intimidante que você tem?
Morte Súbita, por ser um livro adulto. Já vieram umas três pessoas me dizer que eu não devia lê-lo. Pessoalmente, adoro esse livro. 

34. Livro mais intimidante que você está nervoso para começar?
A Peste, de Albert Camus, por ser de Albert Camus e por ser, hum, enorme.

35. Poeta preferido?
Paulo Lemiski (e essa é a hora em que eu digo obrigada pra minha irmã por ter me emprestado/dado um livro dele pra mim). 

36. Qual foi a maior quantidade de livros que você pegou da biblioteca de uma só vez?
Três, porque é esse o limite da biblioteca que eu costumava ir. 

37. Quantas vezes você devolveu livros que não leu à livraria?
Não muitas vezes, que eu me lembre. 

38. Personagens preferidos da literatura?
Colin e Hassan, de Teorema Katherine, Hazel, de A Culpa é das Estrelas, Alasca, de Quem é Você, Alasca?, todos do John Green; Gina e Harry, de Harry Potter; Violet, de Desventuras em Série (Lemony Snicket).

39. Vilão preferido:
Voldemort, de Harry Potter e -A, da série Pretty Little Liars, que pode muito bem ser considerado o vilão da história pelo tanto que ele(a) já ferrou com a vida das garotas da série. 

40. Livros que você leva em viagens:
Livros mais leves, pra poder levar uma quantidade maior. c: 

41. O maior tempo que você ficou sem ler livros:
Sempre fico sem ler em maio/junho e outubro/novembro, porque é a época das minhas provas finais, haha. 

42. Um livro que você não terminou de ler:
Oliver Twist, do Charles Dickens. Por mais que seja um dos meus autores favoritos, o exemplar que eu tenho é em inglês, e acabei desistindo de ler. Ainda quero dar uma segunda chance pra ele, mas livros em inglês realmente me cansam. 

43. O que te distrai quando você está lendo?
Os barulhos (infinitos) do meu vizinho ou a Bijou (minha gata). Quando estou lendo num sofá da livraria ou numa pracinha, às vezes eu paro de ler pra observar as pessoas ao redor, mas não acho que dá pra considerar como distração. 

44. Adaptação preferida para filme?
Harry Potter e o Cálice de Fogo (é meu filme preferido da série). Eu até diria As Vantagens de Ser Invisível por amar de verdade esse filme, mas ainda acho que algumas partes cruciais ficaram faltando. :~

45. Maior decepção com adaptação para filme?
Percy Jackson e O Ladão de Raios. Sem comentários. 

46. Maior quantidade de dinheiro que já gastou numa livraria?
79 reais. A guria aqui² depende da mãe meio pão dura pra comprar livros, então nunca dá pra gastar muito mais que 40 reais num livro. 

47. Quantas vezes você folheia um livro antes de ler?
Não muitas.Gosto de me surpreender com a história. 

48. O que te faz parar de ler um livro na metade?
Uma narração mal-feita ou uma história ruim mesmo.

49. Você gosta de manter seus livros organizados?
Sim! Guardo eles por ordem de tamanho. 

50. Você prefere guardar os livros ou dá-los para alguém assim que terminou de ler?
Só guardo o livro na minha estante quando gosto mesmo dele. Os livros paradidáticos, por exemplo, eu boto no quarto de estudos e quero vendê-los assim que possível. Mas nunca dei um livro. 

51. Tem algum livro que você está evitando ler?
O Poeta do Exílio, da Maria Lajolo, porque é um daqueles livros super interessantes e super bem escritos que te obrigam a ler na escola pra fazer uma prova sobre ele depois e tal. 

52. Um livro que te fez ficar com muita raiva.
Harry Potter e a Ordem da Fênix, porque o próprio Harry passa mais da metade do livro zangado. Eu adoro a Ordem, mas sempre tive a impressão de que, mesmo que seja o livro mais longo da série, não acontece muita coisa nele. 

53. Um livro que você não esperava gostar mas gostou?
Querido Diário Otário, Vol. 1. Sei que é um livro bem infantil, mas é o único que me lembro de ter comprado só pra ter alguma coisa pra ler quando era menor e acabei querendo a série inteira depois. 

54. Um livro que você esperava gostar e não gostou?
A Biblioteca Mágica de Bibbi Bokken - Jostein Gaarder e Klaus Hagerup. Foi um presente da minha irmã e eu esperava gostar poque 1) A Capa é muito bonitinha; 2) O título era interessante; 3) É do mesmo autor de O Mundo de Sofia, que é famoso por ser muito bom e todo mundo sabe disso. Mas foi uma total decepção, gente. A história é péssima. 

55. Literatura prazerosa preferida, sem culpa?
Todo e qualquer livro do John Green ou da Sara Shepard. 

3 de ago de 2013

Vagalumes



Achei aqui

Desde pequena, as pessoas que me conheciam sempre diziam que eu era muito quietinha, tímida demais e que não deveria dar trabalho nenhum aos meus pais. Outros diziam que eu era louca, criativa de um jeito meio esquisito e não parava quieta. Bem, os dois lados estavam certos. Eu era sim, tímida, com certas pessoas. Tá, a maioria das pessoas.  Mas quando alguém me cativava, eu dava de tudo pra ela me achar legal. E sim, eu era estranhamente criativa e não, eu não parava quieta mesmo. Mas eu não dava taaanto trabalho pros meus pais (só não façam a mesma pergunta pra eles. Eles provavelmente afirmariam o contrário. Na verdade eu não sei direito o que se passa na cabeça deles sobre a minha infância).

Nesses meus 14 anos, eu nunca fui uma menina normal. Eu nem mesmo fui uma humana normal. Nunca quis ser cantora, nem modelo, nem médica, nem nada. Na primeira vez que me perguntaram o que eu queria ser quando crescer, eu estava arrancando flores da minha planta favorita do jardim, coloquei uma das flores no cabelo e disse que queria ser jardineira. O que é engraçado, porque na verdade eu queria dizer florista, mas a palavra jardim me agradou mais e eu preferi dizer isso.

Nunca quis ser uma dessas personagens de novela que dorme e acorda maquiada, que toma café numa mesa enorme com a família (que também é sempre enorme) toda junta, tomando suco de laranja numa taça e indo trabalhar na minha empresa super bem sucedida. Nem mesmo quis ser uma garota popular, como a Regina de Meninas Malvadas (ou em qualquer outro filme escolar americano, aliás). E daí você pergunta: ‘‘Então o que diabos você queria ser? ’’Acho que nunca tive nada definido. O que eu quero, no momento, pro futuro, é estudar moda, design, um monte de línguas e ver no que dá.

E tá aí o meu defeito fatal: quero muita coisa. Sobre esse monte de línguas, eu mal era fluente em inglês quando conheci uma das professoras mais queridas do mundo, que falava, além de inglês, alemão. Eu tive mais interesse em conhecer a língua e acabou entrado pra minha lista de um dia eu ponho em prática. Por conta da estilista Coco Chanel (minha maior inspiração pra... bom, tudo), acabei me apaixonando por francês e assim, já tinha bastante coisa pra aprender.


Se bem que, se for pra parar de ser tão mal agradecida da vida, já consegui agarrar alguns vagalumes e colocar no meu potinho. Desde o ano passado eu consegui conquistar metade das coisas que eu queria. A outra metade continua naquela lista de um dia eu ponho em prática e só vai crescendo.  

P.S.: Sim, vou (finalmente) começar a postar alguns dos meus textos aqui. E ah, desculpem pelo atraso da post, heh. ♥

beijos infinitos, 
B E C K Y

26 de jul de 2013

French Pop, French classes e french becky


Fallen leaves

É engraçado isso de estar na oitava série e ver as meninas ao seu redor planejando a mesma coisa: o que fazer no aniversário de 15 anos? Bom, como as pessoas da minha escola são tão ricas quanto eu (ou seja, tudo pobre réii) , a maioria nem vai fazer nada. 15 anos, yay! Cabou. Tem, claro, algumas que querem fazer uma festa normalzinha, algumas que querem (ou até já fizeram) uma festona, coisa e tal. E tem gente, como eu, que quer uma viagem. Mas eu, queridos, não quero uma viagem qualquer: quero Paris, e se possível, quero fazer intercâmbio de um mês também.



Daí quando eu disse isso pra minha mãe, putz, ela quase caiu pra trás. Todo mundo aqui de casa sabe que meu sonho de todos os sonhos é Paris, mas ninguém tava esperando essa de intercâmbio. No momento, eu ainda estou na fase de convencer meus pais e, como já tinha falado umas posts atrás, de aprender francês. Daí decidi falar um pouquinho (tá, falar, porque não consigo falar um pouquinho hora nenhuma) com vocês sobre como está sendo meu quase-pré-intercâmbio-ou-só-viagem, heh. :) 

Raindrops

Desde janeiro eu estou estudando francês pelo Livemocha.com, que para os interessados, não ensina só francês, como também inglês, alemão, japonês e umas outras 20 línguas desde o Iniciante até o Avançado. Ultimamente o site tem dado uns bugs e eu tenho estudado também por outros sites, tipo o Fórum de Idiomas, além de outros que eu achei pelo Google, heh. Sobre convencer meus pais, digamos que está andando lerdo mas está andando, haha. Ando tentando fazer o possível pra provar minha independência (por mais que não, eu não seja lá muito independente, na verdade), tentando fazer mais coisas sozinha, e estudando francês direto, não só pra conseguir aprovação deles, mas também porque sei que, se tudo der certo, eu vou ter mesmo que me virar sozinha, sabe?  

Não ando tendo muita dificuldade no idioma (até porque eu amo francês), nem mesmo naquela puxadinha do R que a maioria das pessoas erra, haha. Eu inexplicavelmente estou acertando o sotaque direitinho. E nisso de querer ser fluente, achei umas bandas francesas muito amorzinho. Vamos ouvir? 

Pra quem quiser me achar no 8tracks, meu user é kindasleepy. :) 


Bom, é isso, espero que minha vida interesse vocês, heh. Não vou dar muitos detalhes do intercâmbio por enquanto porque ainda vou acertar as coisas com a agência quando estiver em casa (não estou na minha cidade, caso não tenha falado ainda). Asim que souber mais detalhes, compartilho com vocês. c:  Ah, essa post foi toda ilustrada com fotos de uma das minhas fotógrafas favoritas, a Joanna Lemanska, que são, sim, todas tiradas em Paris. :07:

beijos infinitos, 
Becky

p.s: A Beatriz e a Betânia me indicaram duas tags/memes, e acho que na próxima post eu faço eles, okay quiridas? c: 

19 de jul de 2013

Eu e Você (Yo e te)


Eu e Você (Io e Te) - Poster / Capa / Cartaz

Semana passada eu vi Eu e Você, do cineasta super premiado Bernardo Bertolucci e fiquei louca pra falar sobre ele pra vocês. Eu simplesmente amei demais o filme e quero colocar na minha coleção de DVDs. Dei cinco estrelas do início ao fim.




Como eu disse, o diretor é bastante famoso, então muita gente esperava mais coisas do filme, que aliás, por mais que tenha um nome super sugestivo, não é um romance.Vi muitos comentários dizendo que é um filme fraco, lento, e gente comparando com as outras obras do diretor ou com o livro (de mesmo nome) no qual o filme foi baseado. Acho isso de comparar muito errado, por isso nem dei a mínima. E sobre o livro, bom, eu já desencanei de exigir total fidelidade aos livros quando vejo filmes desse tipo. 90% do cinema de hoje em dia é baseado em livros, muitos deles premiados, mesmo não sendo lá muito fiéis. Pra assistir esse filme, a pessoa precisa ter certa sensibilidade (não paciência), largar os conceitos de realidade e se concentrar na mentalidade do personagem principal. 


Eu e Você conta a história de Lorenzo, um garoto de 14 anos (só eu que me sinto mais confortável com o filme quando o personagem tem a minha idade? HEH) que não tem amigos na escola e não se dá muito bem com os pais. Assim, quando chega o feriado de inverno, ele finge que vai esquiar com os colegas da escola, mas na verdade se esconde no porão de seu prédio, e pretende ficar ali, isolado das pessoas que tanto te irritam, até o fim do feriado. Acontece que, logo nos primeiros dias, ele recebe a visita da meia-irmã Olívia (Tea Falco), e é assim que o filme se desenrola. 





Tenho que confessar que o início do filme é, sim, meio lento e até um pouquinho confuso se você não tiver lido a sinopse, mas acho que Bertolucci quis apresentar melhor o personagem, já que (felizmente) não há narração, nem pessoas falando diretamente sobre ele. É tudo aos olhos do Lorenzo. O filme é todo cheio de detalhes, e acho que foi por isso que gostei tanto.Ao longo da história, aparecem obras (fotografias) da personagem Olívia, que na verdade são obras reais da atriz, que é uma ótima fotógrafa. A trilha sonora, com The Cure, David Bowie, Arcade Fire (!!!!), também foi um toque super especial, principalmente no início. Ela é tão presente durante a história que acaba mostrando a personalidade e os sentimentos dos personagens. Também gostei do realismo do filme: do Lorenzo comprando Nutella como qualquer pessoa normal (se bem que faz sentido, já que o filme é italiano e a Nutella também é) e da forma como não tiveram o trabalho de esconder as espinhas do garoto. Ele é um adolescente, afinal.




Como eu disse, o filme não é um romance. Até porque isso de amor entre meio-irmãos é coisa de novela da Globo. É sobre o amor entre dois meio-irmãos, e sobre tudo o que eles passam juntos. Os diálogos, os choros, os risos, tudo acaba sendo muito especial. E é por isso que eu super recomendo esse filme. (:

Espero que tenham gostado da resenha e que assistam. Quem assistir me conta o que achou, tá? c: Ah, eu achei o trailer em HD aqui. 

beijos infinitos!
Becky

8 de jul de 2013

Férias...e agora?


the breakfast club  | via Tumblr
achei aqui

Ignorem o título clichê e meio estúpido que eu escolhi. Não sou muito boa nessas coisas. Mas é, gente, pela milésima vez, voltei! :D E mais uma vez prometendo que vou ter mais responsabilidade com o blog e issos. Pelo menos dessa vez eu tenho um motivo ao meu favor chamado férias, que aliás é o assunto de hoje.

Só que todo raio de férias vem uma dúzia de blogs com esse mesmo assunto, com aquelas dicas de "Aproveite o dia pra ficar mais com a família!" ou "Faça uma festa do pijama na casa da sua amiga e chame a turma toda!". Ah, por favor, vamos passar essa fase. 

As dicas que eu tenho pra vocês foram testadas dermatologicamente e eu aprovo. Mas você, leitor, só vai aprovar se for tão preguiçoso e gostar de ficar em casa tanto quanto eu. Certo? Então vamos lá!

Dica 1.  Crie vergonha na cara e vá na biblioteca. 

booooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooks
achei aqui

Na sua cidade tem sim biblioteca, é só saber procurar. E mesmo que não tenha livros famosos nem atuais, sempre tem uns ótimos. Clássico não é sinônimo de chato, sabe? :)  Eu tô cansada de ver meninas que só leem livros baseados em séries/livros ou romances com capas bonitinhas, mas se você for assim (quem sou eu pra julgar), procure um romance mais antigo, como os da Clarice Lispector. O pessoal adora citá-la no Facebook mas ninguém se interessa a ler. Que tal tomar a iniciativa nessas férias?

Se é fã de Percy Jackson ou Crônicas de Nárnia, lê Júlio Verne. Se gosta de ficção, tem uma coleção inteira (e enorme) de Senhor dos Anéis te esperando. E pros corajosos que querem ler alguma coisa diferente, eu recomendo meu bom e velho Charles Dickens, que é aquele tipo de autor que você com certeza vai achar na estante de livros de bolso. As histórias dele são muito, muito bem escritas e gostosas de ler.

Dica 2.  Faça uma maratona dos seus filmes favoritos (com as amigas ou não).

Gorgeous Eyes Shine Suicide. | via Tumblr
achei aqui
Até porque são os seus filmes favoritos. Não que eu esteja dizendo pra vocês se excluírem do mundo!  hahaha eu é que gosto de um tempo só pra mim, principalmente quando se trata dos meus filmes favoritos. Pra assistir com as amigas, que tal fazer uma maratona de um tipo específico de filmes, como assistir a sequência inteira de Atividade Paranormal ou de A Hora do Pesadelo (coisa que a cagona aqui não tem coragem de fazer),  ou  uma série/anime que vocês ainda não tenham visto, ou só filmes de comédia (becky aproves), enfim. 
Pra assistir com a família, eu recomendo assistir filmes que. obviamente, todos gostem, e se você for uma filha realmente legal, tente assistir um filme que seus pais assistiram quando eram mais jovens ou até da sua idade. Locadoras tão aí pra isso. Até achei uma lista de 25 filmes legais dos anos 80/90 que as crianças devem ver, com um monte de filmes clichês, mas alguns são legais, juro.

Dica 3. Invista no seu hobbie especial.

Drawing | via Tumblr
achei aqui

Tinha que ter alguma dica meio tosca, né? E só pra provocar eu também vou vir com aquela frase chata de "Todo mundo tem um hobbie, basta investir nele blá blá". Pois é, você sabe desenhar? Tem centenas de vídeos no Youtube ensinando mil técnicas e coisas específicas, não precisa nem sair de casa e muito menos pagar um curso de desenho. Pra quem não sabe desenhar tão bem assim também serve, na verdade. Existem um monte de tutoriais mais práticos e eu posso até postar uma listinha aqui depois pra vocês se quiserem. 

E se você não tiver um hobbie,tente arrumar um, esportes ou atividades mais leves, só pra passar o tempo. Nem que esse hobbie seja colecionar conchas ou pintar seus sapatos com esmalte. 


Então é isso pessoas, eu falo demais então vou deixar só três dicas mesmo. Se quiserem mais é só falar, heh. Aliás, vocês tem alguma sugestão que eu não tenha colocado aí? Me falem nos comentários. c: 

xo, Becky